CONTOS GAYS – Colegas de Faculdade

CONTOS GAYS – TRANSANDO COM MEU PAI
Fevereiro 12, 2018
Manjando a mala do atleta
Fevereiro 14, 2018

Primeiramente, vou me apresentar, me chamo Maia, tenho 22 anos, 1.80m 74kg. olhos e cabelos castanhos. Desde o 1º semestre de faculdade, ainda na primeira semana, quando ocorrem os trotes, conheci o Tiago, calouro na faculdade também, na hora que o vi já me chamou a atenção por ser muito bonito, ele deve ter 1.80m uns 78 kg. loirinho de olhos castanhos… tudo de bom!

Bom, na ultima fase do trote, os veteranos colocaram os homens em uma roda e a mulherada noutra, e com isso, quebraram um halls no meio e nos deram para que passássemos aquilo de boca em boca… era a maior zoação, e para a minha felicidade, o Tiago estava ao meu lado. Passamos o halls e sequer tocamos nossos lábios.

Na saída do trote, estávamos no vestiário da facul limpando as tintas, ele chega do meu lado e diz “que sacanagem neh meu, ainda se fosse homem com mulher”.. Aquilo de certa forma foi um balde de agua fria pra mim, pois de fato, ele me passou a ideia de ser hétero. Passado alguns meses, na época das provas finais, eu via ele seguido nas aulas, mas não andávamos com as mesmas pessoas, nos distanciamos, e nesta época encontrei o Tiago na biblioteca do campus estudando.

Eu estava lá só de passagem, tinha ido pegar uns livros pra estudar em casa, mas quando o vi, logo dei um jeitinho de ele me ver também. Para minha sorte, a biblioteca estava cheia, então cheguei na mesa dele que estava sozinho e pedi se poderia sentar ali para estudarmos junto. A coisa que menos fizemos foi estudar, ficamos batendo papo, prestando atenção no resto dos estudantes que estavam lá, dando umas risadas, realmente estava muito agradável.

Um hora, uma mulher foi passar atrás da minha cadeira e pediu licença (ela era muito gorda), coloquei minha cadeira pro lado e aproveitando a situação, fiz que desequilibrei e pus minha mão na perna dele, meu pau já ficou duro na hora, fiquei meio sem jeito e ele notou na hora minhas intenções. Começamos a rir e ele perguntou se eu tinha namorada, disse que não e ele disse que também estava sem, disse mais: que estava sem ninguém para descarregar as tensões… Num ato meio “atrevido” disse que para aquilo não precisava ter namorada, que era muito fácil conseguir.

Continuamos a conversa e ele falou que aquela altura topava qualquer negocio para poder dar um trepada. Saquei na hora o que ele estava pensando e disse que também estava afim de “dar uma”. Ele me olhou muito serio e disse “que tal nos ajudarmos?” Meu Deus… a hora que ele falou isso tremi inteiro, meu pau virou rocha, coração batendo a mil. Respondi que era uma ótima ideia… Combinamos de ir no banheiro do 4º andar de um prédio ao lado da biblioteca, onde funciona a rádio da faculdade… O prédio é muito pouco movimentado, e quem entra lá vai na rádio que fica no 2º andar.

Ele saiu primeiro e em seguida sai, entrei no prédio ao lado e cada vez que o elevador subia um andar meu pau latejava mais. Cheguei no banheiro ele estava ao lado da pia, entrei o cara já me pegou de um jeito que me fez arrepiar todo, me deu um beijo. Aquela língua áspera e os braços dele forte segurando minha cintura fizeram eu delirar… Entramos num box de deficientes físicos que é maior e começamos a fazer a melhor foda da minha vida… eu sentei no vaso, ele parou em pé na minha frente, abri sua calça e saltou um caralho muito bonito na minha frente, reto, grosso, devia ter uns 18 cm. comecei a chupar a cabeça, as bolas, fiz garganta funda e ele delirando… sentia todo o seu tesão recolhido a meses.

Pediu para que eu parasse me levantou, me beijo, chupou meu pau uns 5 minutos e disse… se escora na parede e levanta bem a bundinha… obedeci na hora… peguei uma camisinha na minha carteira coloquei naquele caralho e senti a cabecinha forçando para me arrombar… e assim foi, no seco… somente com o lubrificante da camisinha… ele colocou a cabeça e doeu muito…. parou um pouco para que eu me acostumasse com aquilo, rebolei um pouco e ele meteu de uma vez só…. Puta que dor do caralho… ficamos um pouco quietos e ele começou a bombar devagar….

Logo senti que as estocadas estavam aumentando o ritmo… me comeu por cerca de 25 minutos e anunciou que iria gozar…. Gozou muito… chegava a tremer enquanto gozava… tirou o pau fora, jogamos a camisinha fora, ele me beijou (muito carinhoso), e para minha felicidade, disse que desde a 1º semana de aula, imaginava aquele momento… Dali em diante nos tornamos muito amigos…. e até hoje, (estamos no 7º semestre) somos amigos e continuamos transando… só que agora na minha casa ou na dele… ou em motel…. vamos pra praia com a galera mas sempre damos um jeito de ficar no mesmo quarto… Deixamos rolar, ele me come, depois eu como ele e assim continuamos as melhores transas das nossas vidas…

 

 

 

 

 

 

Os comentários estão encerrados.